• Minhas compras
  • Entrar
  • Domenico Losurdo
    Domenico Losurdo autor

    Domenico Losurdo nasceu em 1941, na Itália. Professor de História da Filosofia na Universidade de Urbino, doutorou-se com uma tese sobre Karl Rosenkranz. Tem publicadas em português, entre outras, as seguintes obras: Democracia ou bonapartismo (Unesp, 2004); Contra-história do liberalismo (Idéias & Letras, 2006); Liberalismo: entre civilização e barbárie (Anita Garibaldi, 2006) e Nietzsche, o rebelde aristocrata (Revan, 2009). 

triangulo
  • Margem Esquerda nº05 Dossiê: Imperialismo
    R$ 30,00

    A revista Margem Esquerda chega ao seu quinto número trazendo uma entrevista com Leandro Konder. Intelectual de extensa história de reflexão e militância, Konder fala de suas vivências tanto no meio acadêmico quanto no PCB e no PT, e aponta suas expectativas para a reorganização da esquerda brasileira no governo Lula. Outro destaque desta edição é o dossiê que trata do imperialismo nos dias de hoje, nas análises de David Harvey, Paulo Arantes, Domenico Losurdo, Giovanni Arrighi e Aldo Romero. Os autores jogam novas luzes e recuperam conceitos válidos quase 100 anos depois de Lenin ter definido o imperialismo como a etapa superior do capitalismo. Mais do que denunciar as atrocidades co ...

    Ano de publicação 2005.

  • Guerra e revolução o mundo um século após Outubro de 1917
    R$ 78,00

    Este livro é uma vigorosa resposta àqueles que pretendem desacreditar a história da luta emancipatória. Neste denso e original balanço das revoltas modernas, Domenico Losurdo identifica e recrimina uma tendência reacionária que tem crescido entre historiadores contemporâneos: o revisionismo. Articulando com maestria categorias filosóficas e políticas como guerra civil internacional, revolução, totalitarismo e genocídio, o autor demonstra como as reais motivações dos revisionistas pouco têm a ver com o esforço para um melhor entendimento do passado; em vez disso, baseiam-se nas circunstâncias do presente e nas necessidades ideológicas das classes políticas. O revisionismo histórico quer erradicar a tradição revolucionária e reabilitar a tradição colonial. ...

    Ano de publicação 2017.

  • 1917 O ano que abalou o mundo
    R$ 59,00

    No centenário da Revolução Russa Boitempo e Edições Sesc São Paulo lançam 1917 o ano que abalou o mundo Reunindo artigos sobre os diversos aspectos do período histórico obra é lançada durante seminário internacional no Sesc Pinheiros entre 26 e 29 de setembro. O novo lançamento da Boitempo e das Edições Sesc São Paulo 1917 o ano que abalou o mundo reflete sobre os aspectos culturais políticoeconômicos e filosóficos inaugurados na Revolução Russa de 1917. A obra é lançada durante o seminário internacional homônimo realizado no Sesc Pinheiros entre 26 e 29 de setembro que reúne mais de trinta conferencistas nacionais e estrangeiros para discorrer sobre o tema durante quatro dias de cursos palestras debates filmes e lançamentos de livros. No livro organiza ...

  • 1917 O ano que abalou o mundo
    R$ 59,00

    No centenário da Revolução Russa Boitempo e Edições Sesc São Paulo lançam 1917 o ano que abalou o mundo Reunindo artigos sobre os diversos aspectos do período histórico obra é lançada durante seminário internacional no Sesc Pinheiros entre 26 e 29 de setembro. O novo lançamento da Boitempo e das Edições Sesc São Paulo 1917 o ano que abalou o mundo reflete sobre os aspectos culturais políticoeconômicos e filosóficos inaugurados na Revolução Russa de 1917. A obra é lançada durante o seminário internacional homônimo realizado no Sesc Pinheiros entre 26 e 29 de setembro que reúne mais de trinta conferencistas nacionais e estrangeiros para discorrer sobre o tema durante quatro dias de cursos palestras debates filmes e lançamentos de livros. No livro organiza ...

    Ano de publicação 2019.

  • R$ 89,00

    Hegel e a liberdade dos modernos recupera a discussão dos principais princípios políticos e filosóficos por trás do liberalismo contemporâneo. Por meio de uma interpretação revolucionária do pensamento de G. W. F. Hegel, Domenico Losurdo (1941-2018), um dos maiores hegelianos da atualidade, demonstra como o filósofo da dialética estava totalmente engajado nas controvérsias políticas de seu tempo.Nesta obra de fôlego, Losurdo revela como as questões abordadas por Hegel no século XIX reverberam em muitas das principais preocupações políticas da atualidade, como comunidade, nação, liberalismo, Estado e liberdade. Partindo do exame de todo o corpus de Hegel, sua análise desmonta o dualismo entre intepretações 'conservadoras' e 'liberais' do filósofo alemão, ...

  • A linguagem do império léxico da ideologia estadunidense
    R$ 56,00

    Com lançamento da Boitempo Editorial, chega às livrarias A linguagem do Império - léxico da ideologia estadunidense, obra mais recente do filósofo italiano Domenico Losurdo. Estudioso de Gramsci, Nietszche e Heidegger mas também crítico do pensamento liberal suposta e pretensamente universalista, o autor busca neste livro definir raízes, bases e fronteiras do discurso ideológico estadunidense, que atualmente dirige suas armas para o chamado Oriente.Segundo Losurdo, os Estados Unidos utilizam-se de categorias como 'terrorismo', 'fundamentalismo', 'ódio ao Ocidente' e 'antiamericanismo' como 'armas de guerra' para rotular não só seus inimigos como também os que não mostram disposição em cerrar fileiras neste combate aos que ameaçam seu modelo de sociedade. O autor ...

    Ano de publicação 2010.

  • A luta de classes uma história política e filosófica
    R$ 78,00

    Nesse livro, Domenico Losurdo analisa o presente e o passado da luta de classes e se fixa numa expressão intrigante usada no Manifesto Comunista, de Marx e Engels, ou seja, 'lutas de classes'. Para o filósofo, esse plural é pleno de significado e consequências, que nem sempre foram percebidos, no desenvolvimento da luta política ao longo da história.Losurdo entende que o tema de sua obra não se restringe apenas ao conflito entre as classes proprietárias e os trabalhadores. É também 'a exploração de uma nação por outra', como denunciou Karl Marx, e a opressão 'do sexo feminino pelo masculino', como Friedrich Engels escreveu.A proclamação do ocaso da teoria marxista por intelectuais e políticos na década de 1950 no Velho Continente, aliás, é criticada pelo auto ...

    Ano de publicação 2015.

  • O marxismo ocidental como nasceu, como morreu, como pode renascer
    R$ 49,00

    Nascido no coração do Ocidente, o marxismo se disseminou, com a Revolução de Outubro, por todos os cantos do mundo, desenvolvendo-se de maneiras diferentes e contrastantes, de acordo com o contexto histórico, social e econômico. À diferença do oriental, o marxismo ocidental perdeu o vínculo com a revolução anticolonialista mundial - ponto de virada decisivo do século XX - e acabou sofrendo um colapso. Em seu novo livro, Domenico Losurdo conta a parábola do marxismo ocidental: seu nascimento, sua evolução e sua queda. Uma obra polêmica e combativa, que pode ser considerada uma espécie de acerto de contas com o percurso do marxismo ocidental, repassando toda a sua tr ...

    Ano de publicação 2018.